Quando pensamos em aparecer na listagem de resultados da Google, ou melhorar a nossa classificação de Google SEO, será que podemos forçar o nosso caminho para o topo?

Como otimizar SEO – áudio do texto

Quando estamos a melhorar o ranking de um site ou a apontar para uma listagem de posição zero, o melhor que podemos fazer, é dar à Google o que precisa, para justificar a exibição do seu site na listagem.

Temos de persuadir a Google que o seu site, é de longe a melhor e mais lógica escolha para esse pedaço de visibilidade.

Precisamos de tornar o seu site, tão perfeito para o lugar cimeiro, que a sua ausência faria com que os resultados da pesquisa se sentissem incompletos.

Tudo o que fazemos em SEO é mostrar à Google que o seu site merece ser classificado no topo.

A grande questão é então, sobre a classificação.

Como a Google decide qual o site em primeiro lugar?

A resposta está nos algoritmos complexos, que a Google utiliza para medir e hierarquizar mais de 200 fatores de classificação diferentes.

Ninguém conhece em detalhe e minuciosamente todos os fatores, mas sabe-se dos principais e como podem afetar o impacto da sua marca online.

Podemos dividi-los em três grandes pilares de classificação:
1.   A relevância de um site para a pesquisa;
2.   A popularidade e autoridade do site na Internet;
3.   A qualidade do site.

Vamos olhar para cada um deles.


Relevância em SEO – Ranking Google SEO | Pilar 1

A Google certamente não foi o primeiro motor de pesquisa com a melhor publicidade e a comercializá-la.

A Google é dominante porque os resultados são mais relevantes, o que significa que os utilizadores da web continuam a voltar.

Mercado mundial dos principais motores de pesquisa:

google-seo-search-marketing-frederico
Market Share Motore de Pesquisade janeiro de 2010 a junho de 2021

Em junho de 2021, o motor de pesquisa online Bing respondia por 5,56% do mercado global de pesquisa, enquanto o líder de mercado Google tinha uma participação de mercado de 87,76%.
A participação de mercado do Yahoo foi de 2,71% durante esse período.

Desde a introdução da Pesquisa da Google em 1997, a participação no mercado mundial de todos os mecanismos de pesquisa tem sido bastante desequilibrada.
A maior parte das receitas do Google é gerada pela publicidade online e como resultado, a Google obteve uma das maiores receitas das empresas de tecnologia em 2020, com cerca de 181,69 mil milhões de dólares americanos.


Tecnologias Google como RankBrain e BERT recebem muita atenção no mundo da SEO, e com boa razão.

RankBrain o que é?

  • É uma inteligência artificial (IA) com machine learning que ajuda a Google a compreender o que realmente queremos dizer quando procuramos coisas. Quando procura “Marketing“, espera ver notícias ou informação de fundo sobre Marketing, ou algo mais?
  • BERT o que é?

  • Ajuda os algoritmos da Google a compreender o contexto das palavras e a captar nuances que podem alterar o significado das frases.
    Porque é que alguma destas questões é importante? Bem, importa porque a Google está obcecada em compreender o que as pessoas procuram e em dar-lhes exatamente o que precisam.

  • Como é que a Google mede a relevância?

    No topo da lista está o conteúdo presente no seu site.
    Palavras e, até certo ponto, as imagens.

    A Google tem software, carinhosamente chamados de «robots», que estão a ler a Internet constantemente.

    Estes robôs estão a monitorizar e a rastrear o seu site e a fazer uma nota cada vez que cada palavra aparece.
    Este processo é conhecido como indexação.

    Quando alguém faz uma pesquisa na Google, percorre este índice à procura de instâncias das palavras e percorre os sites, onde essas palavras aparecem.

    De imediato, pode ver a importância do texto se estiver a tentar melhorar a classificação do seu site.
    Se não estiver a utilizar as palavras para as quais pretende classificar na indexação dos motores de pesquisa, como poderia a Google justificar servir o seu site a quem pesquisa?


    O mito da indexação na Google

    Indexar não significa «salvar» o site todo, nem a Google armazena o site por inteiro, mas regista exemplos de palavras e frases específicas.

    A Google não indexa todas as páginas que encontra.

    Há um enorme número de páginas web, que não recebem visitantes, que a Google considera de baixa prioridade e não se preocupa em indexar.

    Salta estas páginas porque prefere dar prioridade a sites, que considera mais importantes, nomeadamente, aqueles que são atualizados e recebem mais tráfego.

    A má notícia é que se as suas páginas não forem indexadas, não vão aparecer nos resultados da pesquisa.

    Agora de volta à relevância.

    Para além do conteúdo do texto, outra medida de relevância é a forma como os pesquisadores interagem com o seu website.

    Imagine que pretende aprender algo novo sobre marketing digital.
    Entra na Google e escreve na barra de pesquisa “curso marketing digital“.
    Aparecem os resultados, conhecidos como a página de resultados do motor de pesquisa, ou SERP.

    Popularidade e Autoridade Google SEO | Pilar 2

    Outro método que o Google utiliza para decidir onde classificar qualquer site, é a autoridade e popularidade do site.

    Link Juice o que é?

    Link Juice ou Link Equity (termo técnico do mundo SEO) representa o molho secreto que a Google usa para medir a popularidade relativa e autoridade de todas as páginas na Internet.

    Refere-se ao benefício ou capital passado para um site através de links de fontes externas ou internas.

    Para ilustrar como esta medição funciona, imagine esta situação.
    Devido a um estranho conjunto de circunstâncias, tem de recomendar um curso de email-marketing aos seus colegas, sem ter grandes conhecimentos técnicos.

    Se fizer uma boa recomendação, eles vão adorar e aprová-lo para sempre. Faça uma má recomendação e é retirado da sua lista de cartões de Natal para sempre.

    Como é que elaboraria a sua lista de cursos recomendados?
    Lembre-se, nunca frequentou nenhum e não conhece o formador pessoalmente.

    Pode perguntar aos seus amigos quais os cursos que eles recomendariam.

    Com o tempo, provavelmente notaria que algumas recomendações não paravam de surgir.

    Poderá mesmo manter uma contagem destes votos. Isto começaria a dar-lhe um pouco de tabela de classificação e quanto mais votos um curso tiver, maior será a probabilidade de ser uma recomendação sólida.

    Com todos os dados sobre o número de recomendações, estaria agora em posição de construir uma tabela classificativa bastante fiável dos cursos disponíveis em determinada cidade ou de cursos online.
    Isto seria um algoritmo rudimentar de classificação.

    Poderia construir o seu próprio algoritmo de classificação que ordena as recomendações pela probabilidade desejada pelos seus contactos.

    Isto é exatamente o que a Google procura fazer.

    O algoritmo no sumo de ligações Link Juice não mede as recomendações boca-a-boca, mas sim o equivalente virtual, as ligações para cada site.

    A medida da autoridade de cada site na web, tem o nome técnico de PageRank da Google

    Se muitos sites ligam à página A, mas nenhum site liga à página B, então a página A seria normalmente mais popular e teria uma classificação PageRank mais elevada.

    Todas essas ligações significam que é provavelmente uma página web mais útil e popular, pelo que, se tudo o resto fosse igual, deveria ter uma classificação mais alta na Google.

    Curiosdade: PageRank tem o nome de Larry Page, o supergeek co-fundador da Google que pensou no algoritmo matemático para o medir. PageRank é uma marca registrada do Google. O algoritmo é protegido (nos EUA) pela patente US6285999 e atribuído à Universidade de Stanford. 

    pagerank-majestic-linkjuice google seo
    Fácil, certo|’


    Não é apenas o número de links apontados para um site que determina o valor da sua página.

    É também a qualidade (isto é, o PageRank) dos sites de onde provêm estas ligações.

    Isto faz todo o sentido se voltarmos ao nosso exemplo de recomendação de cursos.

    Em vez de confiar apenas no número de recomendações para cada curso, poderá pesar muito os votos dos seus amigos que procuram formação e são mais experientes.

    Afinal, se eles frequentarem ações de formação regularmente poderá considerá-los uma autoridade em novos conhecimentos, pelo que é justo que os seus votos sejam considerados mais influentes.

    Tomando em consideração a «autoridade» e a «competência por tópico» de cada voto, poderia aumentar a probabilidade de encontrar um curso que adore.


    Vejamos um exemplo de site:
    Imagina que o seu site, recebe um link de um comentário de um blogue com ar de spam www.spamterrivel.pt, que é um site ficcionado, que não recebe visitantes.

    Entretanto, o seu site recebe um link, da página inicial da Universidade de Harvard (.edu com um peso particular para a Google porque são menos suscetíveis de serem tomados por spammers).

    Que ligação significa mais?
    Qual é um «voto» mais fiável sobre a qualidade dos nossos sites na web?

    Obviamente que o link de uma instituição de grande autoria tem muito mais peso.

    Isto refletir-se-ia na classificação PageRank que os nossos sites na Web obtêm a partir das ligações.

    O seu site obteria mais PageRank a partir do link de Harvard, e muito pouco a partir do comentário do blogue com ar de spam.


    PageRank flu’ através das ligações, pelo que o site de Harvard, que por sua vez tem uma classificação PageRank elevada, porque tantos outros sites lhe fazem ligação, passaria PageRank para a sua página web.

    link juice - google seo

    Qualidade Ranking Google SEO | Pilar 3

    Nenhuma discussão sobre os fatores de classificação do Google estaria completa sem uma menção de qualidade.

    Devido ao desejo da Google de servir quem pesquisa, com os resultados mais valiosos, é óbvio que a «qualidade» do seu site será importante.
    De facto, é tão importante que ao Google revelou muito explicitamente o que considera ser um site de «alta qualidade».

    As diretrizes de qualidade da Google, permite certificar-se de que o seu site, cumpre com os requisitos mínimos.

    Melhorar a qualidade do seu site em algumas áreas-chave pode muitas vezes « desbloquear» as melhorias de classificação para as quais tem estado a trabalhar.

    Vejamos agora estas áreas-chave de qualidade:


    O conteúdo do seu site | Upgrade 1

    Sites com conteúdo fino, o que significa baixa contagem de palavras, escritos às 3 pancadas, com má qualidade ou páginas com pouco ou nenhum texto, lutam sempre pela classificação.

    Melhorar e aumentar o conteúdo é muitas vezes a forma mais rápida de impulsionar a classificação de um site em dificuldades.

    Isto faz sentido porque a Google tenta fazer corresponder as necessidades dos pesquisadores a sites que satisfaçam essas necessidades.

    Alguma vez pensou para si próprio… «o que eu preciso neste momento é de um site, mal escrito e com informação incompleto?»

    Não.
    As pessoas por vezes resistem à recomendação de aumentar a quantidade de conteúdo no site.

    Dizem coisas como: «Não quero arruinar a estética do meu site com texto».
    Essa é a perspetiva errada.

    De facto, existem lojas de eCommerce a tentar vender todos os produtos que se possa imaginar que pensam que uma linha de texto e um par de fotografias de baixa resolução para cada produto vai ser suficiente para motivar as pessoas a comprar.

    Não vai ajudar a sua classificação.
    Lembre-se que a Google quer recompensar os sites que são especialistas nas suas áreas e sabem do tema que estão a falar.

    Como pode saber se um site é um especialista no seu tema se há muito pouca informação sobre o tema na página?

    A Google tem investido fortemente na sua capacidade de verificar o conteúdo.


    Erros e Links Quebrados | Upgrade 2

    Se clicasse num resultado de pesquisa superior e descobrisse que o site estava cheio de erros e links quebrados (que já não existem), ficaria surpreendido, certo?

    Da mesma forma, se levasse 20 segundos a carregar uma página, provavelmente não esperaria.

    Os sites de boa qualidade não tendem a ter este tipo de problemas, pelo que é lógico que os sites que têm este tipo de problemas não possam ser particularmente de boa qualidade.

    Descobrir que o seu site sofre de alguns problemas técnicos de morte é na verdade uma excelente notícia, porque significa que algumas reparações relativamente simples podem mover a agulha por si, ou seja, melhor o seu Google SEO.


    Mobile friendly | Upgrade 3

    Ter um site adaptado para tablets e smartphones, é dado adquirido nos dias de hoje, mas existem diferentes tipos de sites móveis, cada um com o seu próprio conjunto de armadilhas SEO.

    Se o seu site não for amigável para ser visualizado em telemóveis, precisa de um plano urgente.

    Comece a pensar num novo site ou fale com o seu programador sobre a adição de funcionalidades móveis ao seu site existente.

    Market Share Mundial – Desktop vs Mobile vs Tablet

    marketshare mobile-tablet-desktop-google-seo-mundial-
    google seo
    Desktop vs Mobile vs Tablet Market Share Mundial

    Market Share Portugal – Desktop vs Mobile vs Tablet

    Desktop vs Mobile vs Tablet Market Share Portugal

    Foco na Google

    Os três grandes motores de pesquisa (Google, Bing, Yahoo) concentram-se na grande generalidade nos mesmos elementos de uma página web, mas pesam-nos de forma um pouco diferente.

    Significa que é difícil otimizar para os três motores de pesquisa ao mesmo tempo, pelo que recomendo que se concentrem principalmente na Google, uma vez que este controla de longe a maior parte dos utilizadores.

    Os motores de pesquisam olham para página, domínio, e qualidade do link, mas fazem diferentes avaliações.

    Se não está bem classificado no Bing ou Yahoo mas está bem classificado na Google, considere os seguintes fatores:

    • As características do seu domínio: Há um favorecimento de domínios mais antigos com palavras-chave nos mesmos, por exemplo, se o seu termo de pesquisa alvo estiver no seu domínio (www.teletrabalhoweb.com).
    • Qualidade da ligação: Os motores de pesquisa pesam mais os links dos sites .edu, .org, e .gov, e correspondem exatamente ao texto de âncora.
    • Elementos na página: Os motores de pesquisa favorecem páginas web que incluem a frase específica que está a procurar em áreas-chave da página web como o cabeçalho, título, copy da página web, e etiquetas de descrição.
    • Sinais sociais: O motor de pesquisa Bing disse que tem em conta os fatores das redes sociais nos seus resultados, pelo que o conteúdo que é partilhado mais no Facebook, Twitter, e outros canais tipicamente será melhor classificado.
      Não é algo exclusivo da Bing, deve considerar este factor para para Google SEO.


    Se estiver preocupado com a ausência de boas classificações no ranking da google, trabalhe com um perito em SEO para elaborar um plano específico para a classificação nesses motores. Procure também formação especializada, num curso de seo.

    É preciso lembrar que alguns dos factores que pesam podem parecer “spammy” para a Google e podem arriscar as suas classificações no Google, uma vez que são mais rigorosas em torno de ligações de correspondência exata e estruturas de domínio de correspondência exacta.