Report completo da CES 2021, de 11 a 14 janeiro 2021, a que tive o privilégio de acompanhar.

O emblemático evento de tecnologia e inovação global, a Consumer Electronics Show 🇺🇸 (CES), que acontece há 54 anos, realizou-se este ano de forma inédita: totalmente online. A sua dimensão e a crescente inovação tecnológica constituíram as suas tónicas.

Durante 3 dias, acompanhei lançamentos de novos produtos de tecnologia, palestras de líderes globais da indústria e muitas horas de conteúdo nas diferentes sessões. Estavam desde startups, a gigantes da tecnologia.

Para quem nunca ouviu falar, a CES apresenta-nos muitas empresas inovadoras, incluindo fabricantes, fornecedores de hardware de tecnologia de consumo, conteúdo, sistemas de tecnologia e muito mais.

O ano passado, mais de 170.000 pessoas participaram no evento de Las
Vegas
, numa reunião de 160 países.

O CES desde ano, apesar de ter 1900 expositores, 7000 startups e milhares de participantes, pareceu uma série de ligações consecutivas feitas pelo Teams da Microsoft (patrocinou o evento).
Em suma, não há substituto para a coisa real.  Na listagem de participantes verifica-se que havia 9 portugueses (a maioria de multinacionais). O bilhete para profissionais custou $499.

Na edição de 2021, não houve pirotecnia nas apresentações (algo emblemático no evento) ou um mini parque de diversões como a Google fez em 2019, mas a produção envolveu muitos milhares para o aparato tecnológico que assisti online.

Interessaram-me especialmente, as palestras e painéis de debate nas temáticas de privacidade, e-commerce e transformação digital em plena pandemia.

O evento teve 100 horas de conteúdo e fusos horários loucos, por isso destaco algumas novidades.

A escala da CES

Já participei em inúmeras conferências europeias, mas a novidade desta CES foi a dimensão. A pandemia acelerou o arco da inovação e mostrou a resiliência e o espírito inovador de várias indústrias.

Das últimas inovações para o lar, entretenimento, avanços em 5G, tecnologia automóvel, IA e saúde digital, as tecnologias continuam, no seu desenvolvimento, cada vez mais impactantes no quotidiano das pessoas.

A escala dimensional impressionante:

  • Logo no primeiro dia, a 11 de janeiro, o evento arrancou com 19 conferências de imprensa de empresas como a Canon, Intel, LG, Mercedes-Benz, Samsung, Sony, com destaques para o lançamento de novos produtos.
  • Quase 2000 empresas lançaram produtos durante o CES 2021, incluindo cerca de 700 startups de 37 países.
  • Apesar de tanta coisa a acontecer em simultâneo, entre palestras, lançamentos, e expositores, a informação que chegava aos participantes foi bem gerida, sem assoberbar.
  • A conferência tinha uma emissão de TV direto com pivôs, que iam comentando os lançamentos, entrevistas e conteúdo relevantes.
    A qualidade da emissão, de surpreendente qualidade.

Quando a CES optou por realizar a sua conferência de 2021, a organização prometeu uma experiência digital de última geração que se esforçaria para ser tão experiencial quanto as suas apresentações ao vivo, tradicionais em Las Vegas. Embora muito tenha sido feito, com um investimento de “sete dígitos” em tecnologia de videoconferência e salas de convenções virtuais, o evento ficou um pouco abaixo das expectativas, talvez porque lhe faltou a vivacidade das conversas, os aromas da vida em ambiente real.

Várias das palestras e painéis de debate foram pré-gravados, dando pouca flexibilidade para falar sobre os eventos que moldaram a tecnologia nos tempos mais recentes como a suspensão das contas de Donald Trump em várias plataformas, nomeadamente redes sociais.


O estado da arte da tecnologia

As empresas com ofertas técnicas inovaram durante a pandemia, seja com máscaras inteligentes, robots desinfetantes, sensores corporais que detetam os sintomas da COVID-19 e sistemas inteligentes de filtragem de ar. 

De uma forma geral, a estratégia dos produtos de grande consumo centrou-se na inovação para o conforto do lar, saúde e entretenimento em casa.
Globalmente os avanços nos transportes e mobilidade vão merecer desenvolvimentos.

Honestamente, mais do que a inovação em aparelhagens e dispositivos físicos interessou-me mais os conteúdos técnicos e científicos das personalidades convidadas nas diferentes palestras e painéis de debate.

Tendências tecnológicas para 2021

Nesta secção destacam-se as projeções da Consumer Technology Association (CTA) para a indústria da tecnologia com dados e contexto. A sessão foi apresentada por Steve Koenig, VP de pesquisa e Lesley Rorhbaugh, diretor de pesquisa do CTA.

Em jeito de resumo os 4 grandes temas de 2021 vão ser:
🔸 1. E-Commerce
🔸 2. Telemedicina
🔸 3. Aprendizagem à distância
🔸 4. Streaming

As tecnologias de consumo certamente tornaram a pandemia e os confinamentos obrigatórios, em casa, mais toleráveis. Algumas das previsões da Consumer Tecnhology Association destacam a perspetiva de que as crises e desacelerações económicas são incentivos à inovação. Nessa sequência, forneceu as seguintes estatísticas:

As taxas de adoção são impressionantes, tendências de vários anos foram comprimidas no tempo e servidas no prato de 2020. 

“Adoção” e “Transição suave” são duas coisas diferentes. 
O trabalho remoto e distanciamento social vão permanecer em 2021, mas o que será que fica quando voltarmos aos hábitos de 2019?

Possivelmente os serviços e software de streaming, agora projetados para atingir um valor recorde de 112 mil milhões de dólares em 2021 (crescimento de 11% em 2020).

  • Vídeo: O conteúdo exclusivo e a impossibilidade de frequentar as salas de cinema, estão a conduzir a múltiplas subscrições que aumentarão as despesas para 41 mil milhões de dólares em 2021, um aumento de 15% em relação ao ano passado.
  • Áudio: Música, áudio livros e audição de podcast, com serviços, incluindo Apple Music e Spotify. Espera-se que Pandora atinja 10 mil milhões de dólares em receitas, um aumento de 19% em relação ao ano passado.
  • Jogos: As famílias estão mais que nunca a jogar jogos, pelo fator de
    entretenimento e ligações sociais. O lançamento das consolas de jogos de próxima geração da Microsoft e da Sony vai continuar a impulsionar as vendas. As consolas domésticas e portáteis atingirão 18 milhões de unidades em 2021, um aumento de 3%, ganhando 6 mil milhões de dólares em receitas (mais 16%).

Também a tecnologia digital de saúde em 2021 terá um mercado diferente do que foi em 2020, dado o aumento da relevância do setor.

À medida que mais pessoas monitorizam os potenciais sintomas da COVID-19 e conseguem resolver condições crónicas a partir de casa utilizando dispositivos como termómetros inteligentes, oxímetros de pulso e monitores de tensão arterial, a previsão é que a procura aumente em 2021 para mais 35%.

A saúde no enquadramento da tecnologia que inclui relógios inteligentes e sistemas de monitorização de atividade física, vão aumentar 13% em 2021 para atingir 69 milhões de unidades e 9 mil milhões de dólares em receitas (+ 6%).

Lesley Rohrbaugh, da Consumer Technology Association, focou-se na “terapêutica digital”, uma categoria de hardware e apps que captam dados e fornecem aos utilizadores atividades e estratégias para gerir os sintomas em tempo real. Esse campo também inclui dispositivos conectados que fornecem esses dados ao médico do utente para ajustar o tratamento e as prescrições para cuidados individualizados. 

Rohrbaugh citou exemplos como programas de exercícios para pessoas com diabetes e ambientes de realidade virtual para ajudar na recuperação de determinadas doenças. Estima-se que a terapia digital deve ser um negócio de US $ 11,7 bilões em 2027.

Na apresentação de saúde digital, Rohrbaugh falou sobre o uso de robôs para entrevistas de triagem de emergência ou telemedicina, um passo disruptivo para muitas pessoas.

Koenig cobriu a transformação digital, citando várias maneiras pelas quais as empresas e consumidores tiveram que mudar as suas estratégias em resposta ao COVID-19. 

Uma dessas mudanças é que, com menos pessoas nos escritórios, aparentemente fazia mais sentido mover os recursos de computação também para o virtual.

  • Os gastos com a área de fitness aumentaram em, um terço à medida que as pessoas ficavam longe das academias, e recorreram ao digital;
  • Quase todo o sistema jurídico descobriu como fazer audiências, e julgamentos, usando plataformas de comunicação remota;
  • O sistema educacional mostrou a fragilidade do tecido social de quem tinha acesso a equipamentos informativos, fazendo com que o Estado e instituições não governamentais apoiassem a entrega e respetivo empréstimo/oferta de equipamentos para que os alunos pudessem aceder à informação.

Entre os humanos e os robôs

Passando para a robótica, Rohrbaugh argumentou que a revolução dos robôs teve um forte avanço.

O negócio dos robôs autónomos de desinfeção ultravioleta, é um dos produtos mais requisitados para B2B, e espera-se continuo crescimento em 2021.

Outras das áreas abordados foram as entregas ao domicilio (ver imagem):

5G e o que isso significa para o transporte

Em tecnologia automóvel, Koenig destacou o potencial das redes 5G (10 a 20 vezes mais rápida do que o 4G), com baixa latência e ligações sempre ativas, que tornam possíveis coisas novas nas comunicações nomeadamente com os veículos autónomos. A inteligência do sistema estaria embutida nos próprios veículos e no ambiente ao redor.

O CTA forneceu um novo mapa da implementação 5G

Em Portugal, ainda falta concluir o processo que visa a atribuição às operadoras dos respetivos direitos de utilização de frequências que deverá acontecer no 1.º trimestre de 2021.

Com a adoção do 5G, todos os cidadãos e empresas podem beneficiar de Internet de alta velocidade, mesmo os que estão em zonas de baixa densidade populacional, incluindo nas regiões autónomas, uma vez que as regras do leilão para atribuição das frequências determina uma cobertura de 95% do território nacional em 2025, e de 90% da população das freguesias de baixa densidade e das freguesias das regiões autónomas.

A tecnologia de quinta geração traz consigo a capacidade de suportar mil vezes mais tráfego do que as redes atuais e a uma velocidade 10 a 20 vezes mais rápida do que o 4G.

Do ponto de vista global, Koenig disse que expetavelmente em 10 anos, a maioria dos países terá alguma infraestrutura 5G instalada, e a construção do sistema deverá criar 22,8 milhões de empregos nos próximos 15 anos. 

O CEO da Verizon chama o 5G de “a estrutura para o século 21”.

Cidades Inteligentes

Estaremos preparados para as cidades inteligentes e o impacto no nosso dia a dia ?

A apresentação destaca o rastreamento COVID como algo que é imediatamente saliente (em Portugal não funcionou) à ideia da interligação entre os dados das pessoas e o conhecimento territorial.

  • STAYAWAY COVID é uma aplicação para telemóveis iOS ou Android que tem como objetivo auxiliar o país no rastreio da COVID-19;
  • Em setembro a Apple e Google lançaram uma APP semelhante à StayAway Covid, que está disponível para os governos que a solicitarem;
  • Apareceram várias apps para ajudar a perceber quantas pessoas estavam na praia, ou em determinados estabelecimentos.

Uma cidade inteligente fornece a infraestrutura e as ferramentas que os gestores urbanos podem usar para resolver problemas imprevistos, em vez de implementar soluções pontuais para problemas isolados. 

Em Portugal, a Junta de Freguesia da Estrela, é uma referência neste tema.

A infraestrutura de cidades inteligentes permite que comunidades bem governadas façam uma transição parcial de um modelo burocrático para um tecnocrático, usando dados em tempo real e resultados baseados em evidências para orientar as políticas.

Juntamente com as tecnologias de limpeza, espere ver mais superfícies interativas ativadas por voz e sem toque para evitar a propagação de doenças. 

Aprendizagem remota

À medida que as escolas em todo o mundo dão resposta à COVID-19, a necessidade de ferramentas de ensino à distância é cada vez mais urgente.

Independentemente do nível de conhecimento, o ensino à distância precisa de ferramentas para alcançar os objetivos.

Portáteis: 2020 foi um ano recorde para os computadores portáteis (empresas e consumidores), com mais famílias a trabalhar e a aprender em casa.
O CTA prevê que as encomendas de portáteis permaneçam fortes em 2021, atingindo 69 milhões de unidades (mais 1% do que no ano passado) e ganhando 38 mil milhões de dólares em receitas (menos 2%).

Smartphones: As encomendas vão aumentar 4% para 161 milhões de unidades, ganhando 73 mil milhões de dólares em receitas (mais 5% em relação ao ano passado), após um ano de ligeiras descidas.
Mais de 67 milhões de smartphones 5G vão ser vendidos em 2021 e gerar
39 mil milhões de dólares em receitas.

Em baixo um pequeno trecho:

Para os verdadeiramente curiosos aqui ficam os slides da palestra.

Embora seja quase certo que apenas algumas partes desta apresentação vão acontecer – e que as tecnologias que estão a ser desenvolvidas são impressionantes (ver detalhes mais em baixo), o impacto no bem-estar das pessoas e na eficiência no trabalho está ainda por medir.

2. Privacidade e confiança do consumidor:

As grandes empresas de tecnologia precisam de “elevar a fasquia” relativamente à privacidade e à confiança dos seus serviços em 2021.
Esta foi a principal mensagem de um painel de discussão na CES que incluiu representantes do Google, Twitter e Amazon.

A privacidade e a confiança continuam a ser fundamentais para o futuro da tecnologia de consumo.

Os responsáveis pela privacidade da Amazon, Google e Twitter discutiram os regulamentos de privacidade como o RGPD, Privacy Shield, e a necessidade de aumentar a confiança dos consumidores, permitindo que haja mais controlo sobre os dados pessoais.

As pessoas estão cada vez mais preocupadas com o que as empresas fazem para proteger as informações privadas que partilham, e a transparência nesse espaço atinge o cerne da confiança do consumidor.

  • Como é que as grandes empresas de tecnologia protegem a privacidade dos seus utilizadores a nível global?
  • Que mudanças são necessárias nas políticas, produtos e regulamentos?

A necessidade de maior transparência surgiu como resultado da crescente dependência da tecnologia digital para conduzir a vida quotidiana desde o início da crise do COVID-19 no ano passado.


“Estamos a ver mais e mais casos em que as pessoas estão usar o nosso produto para interações muito importantes… esses tipos de casos de uso aumentam o nível de transparência nos controles de privacidade e a confiança do produto.”

Anne Toth, diretora da “Alexa Trust-Amazon”:

Toth, referiu que o RGPD e o Privacy Shield colocaram muita pressão nas equipas legais, de design e programação, para criarem funcionalidades visuais, nas diferentes plataformas para que os clientes pudessem perceber como ativar e desativar características associadas aos dados pessoais.
Os protocolos são exigentes e colocam um desafio ao nível de frontend e backend.

Chamou ainda a atenção, para o facto de ser necessário um grande investimento de uma empresa que pretenda montar uma operação global, já que o tema da privacidade obedece a vários critérios e interpretações conforme o país.

“Os utilizadores estão mais nervosos do que no ano passado; confiam mais tecnologia para viver as suas vidas e fazer as coisas que são importantes para eles. ”

Keith Enright, diretor de privacidade da Google

Portanto, as empresas de tecnologia têm o dever de ajudar os utilizadores a sentirem-se seguros online. 

Além dos controlos de privacidade e regras de proteção de dados transparentes, Enright acrescentou que também é vital “trabalhar em toda a indústria, com reguladores e outros para identificar oportunidades onde seja possível melhorar significativamente a privacidade e a segurança que rege o comportamento dos utilizadores online”.

Além disso, a inteligência artificial (IA) e a forma como as máquinas recolhem, transformam e partilham os dados do utilizador devem ser claramente transparentes. 

“À medida que essas tecnologias se tornam mais omnipresentes em tudo o que usamos e fazemos online, acho que a transparência nesse espaço será extremamente importante”.

Damien Kieran, diretor de privacidade do Twitter

Kieran destacou como alguma da legislação relativamente aos dados (RGPD, Privacy Shield) oferece o potencial para uma maior “balcanização” da Internet, nomeadamente pela interpretação da lei, e por haver diferentes modelos em países diferentes.

Em 2020, a Comissão Europeia apresentou formalmente a proposta com as novas regras dos serviços digitais a operar no território, com a Digital Services Act e a Digital Markets Act.

Também em 2020, o Tribunal de Justiça da União Europeia invalidou o Privacy Shield, decretando que as empresas norte-americanas a operar em território europeu têm de verificar o processo de transferência de dados dos utilizadores europeus para os Estados Unidos, uma vez que as suas regras em relação à privacidade não são tão exigentes quanto o Regulamento Geral de Proteção de Dados.

“Há potencial para um impacto prejudicial, tanto para a indústria quanto para a confiança dos consumidores na forma como esses produtos e serviços funcionam todos os dias.” 

Damien Kieran, diretor de privacidade do Twitter

Os membros do painel também expressaram o desejo de que seja implementada uma lei federal de privacidade dos EUA, nos próximos dois anos para ajudar a resolver o facto de existirem várias leis estaduais nos EUA que agora criam uma “colcha de retalhos” na legislação de privacidade.

“A Google procura proteções fortes e consistentes para os direitos individuais, uniformidade de controlos, para que os utilizadores tenham uma experiência consistente quando estão a interagir com serviços online onde quer que estejam no mundo.”
Keith Enright, diretor de privacidade da Google

As novidades das marcas e produtos na CES

5G

Verizon: Hans Vestberg, presidente e CEO da Verizon, mostrou a imersiva experiência do 5G (o padrão de tecnologia de quinta geração para redes de banda larga) através de exemplos no desporto, educação, streaming, música ao vivo.

É uma tecnologia verdadeiramente rápida e eficiente.

  • Velocidades máximas de upload e download (as mais rápidas do mundo).
    • Embora considere a minha internet de 100mpbs de download em Lisboa, mais do que suficiente, o 5G pressupõe, 20 Gb/s de download e 10 Gb/s de upload, o que vai permitir também maior conectividade entre pessoas, máquinas e dispositivos do nosso dia a dia. 
  • Alta capacidade e tempo de atraso ultrabaixo.

Mais uma curiosidade: a Verizon e a sua subsidiária de drones, Skyward, associaram-se à UPS para usar drones conectados a 5G para entregar encomendas na Flórida. No ano passado, o programa concentrou-se na medicina, mas o objetivo é expandir para outras áreas de entrega. 

ROBÓTICA

A Samsung mostrou aspirador robô JetBot 90 AI +: O robô inteligente vem equipado com uma câmara que não só limpa, como tem uma câmara de segurança doméstica e sistemas sofisticados de IA.

A empresa sul-coreana também revelou um frigorífico com um painel de vidro na porta principal. Se tocar no vidro acende a luz interna e permite ver o interior.

“Bot Care”: este bot funciona como um assistente pessoal – analisando o comportamento da pessoa para sugerir que faça uma pausa do computador, ou verificando a agenda, para lembrá-lo de uma chamada em conferência. 

“Bot Handy”: Projetado para agarrar ou manusear qualquer objeto em casa, este bot classifica os itens por forma e material (pense: uma taça de vinho ou prato de porcelana). Útil para tarefas como guardar mantimentos, arrumar a mesa, carregar a máquina de lavar louça e até mesmo servir uma taça de vinho. 

Moxie (por Embodied): Este bot sorridente e de olhos arregalados foi criado em parceria com especialistas em educação e desenvolvimento infantil, com o objetivo de fornecer às crianças “aprendizagem baseada em brincadeiras” e desenvolvimento de habilidades sociais / cognitivas. O Moxie usa machine learning para processar e gerar respostas para conversas, contato visual e expressões faciais. 

Moflin (por Vanguard Industries): Ganhou um CES Innovation Award pela forma como usa a inteligência artificial para exibir uma gama de “capacidades emocionais”, algo semelhante a um animal de estimação vivo. O Moflin usa sensores para analisar os arredores e identificar padrões, respondendo com uma série de combinações de som e movimento. 

Coldsnap permite Gelados instantâneos e suaves “Máquina de café expresso encontra Haagen Daaz.” Tem um doseador de gelados que pode congelar em 60-90 segundos. Estará disponível em 2021 por 500 dólares.

Finalmente, como estamos todos sentados em casa, há muitos novos robôs aspiradores.

  • O RoboVac L80 da Eufy pode armazenar mais de um mapa de piso e usa lasers para determinar o caminho mais eficiente para a limpeza. 
  • O Roborock S7 usa tecnologia de detecção de superfície para levantar automaticamente o esfregão ao passar pelo carpete (e baixá-lo para outras superfícies). 

A pandemia deu início a um boom na carreira de robôs em setores como operações de depósito, serviços sem contacto, sanitização, agricultura e entrega final. 

Entrega sem contacto: “A entrega é a maior indústria não automatizada do mundo”, disse Ahti Heinla, co-fundador da startup de entrega robótica Starship Technologies, num painel de debate. O volume de negócios da Starship triplicou desde o início da Covid-19. 

  • No mesmo painel, Kathy Winter, VP do Grupo IoT da Intel, disse que a experiência sem contacto será a tendência principal para a robótica em 2021.

Agricultura: é outra área de rápido crescimento para robôs, especialmente conforme a população mundial cresce e as mudanças climáticas levam a um clima imprevisível. É por isso que os robôs com foco em agricultura normalmente ganham mais prémios na Innovation Award do CES

  • John Deere venceu em robótica pelo segundo ano consecutivo, desta vez com a sua ceifeira-debulhadora da série X. Disponível agora, os agricultores podem usar a máquina – que vem com tecnologia de direção autônoma, visão computacional, câmeras e sensores integrados – para colher as safras assim que amadurecem. 
  • Daesung conquistou um título homenageado com o seu Hive Controller, uma máquina automatizada para remover um favo de mel de uma colmeia. A empresa está a levantar fundos no Indiegogo.

AUTOMÓVEL

Nos últimos anos, alguns espetadores descreveram a CES como uma feira de automóveis. O impacto da tecnologia na indústria traz muitas inovações.

Elétrico: O presidente e CEO da General Motors (GM), Mary Barra, referiu que entre 2020 e 2025, a GM planeia gastar US $ 27 bilões para expandir o seu portfólio totalmente elétrico, desenvolver mais veículos autónomos.

  • A GM veio com algumas surpresas. É o lançamento de um novo negócio, BrightDrop , que visa eletrificar a entrega e logística. 

Voar: a segunda surpresa da GM, foi a eVTOLs (aeronaves elétricas de descolagem e pouso vertical ou carros voadores). A empresa revelou representações de um conceito voador Cadillac, um monoposto de quatro rotores que pode voar a velocidades de até 56 mph. 

  • A startup Archer – táxi aéreo – e a rival da GM, Fiat Chrysler Automobiles, anunciaram que produziriam conjuntamente eVTOLs. 

UX no carro: a Mercedes-Benz revelou o MBUX Hyperscreen , uma tela de 56 polegadas que abrangerá todo o painel dos seus futuros carros EVs. A mega tela combina software de personalização com IA, recursos de iluminação ambiente e “fusão de design digital / analógico”. A rival BMW mostrou o seu sistema de infoentretenimento iDrive de próxima geração . 

O futuro vai apresentar carros com ecrãs de bordo cada vez maiores, assistentes de voz, recursos habilitados para a conectividade e hardware de monitorização do motorista.

Complexidade computadorizada: enquanto a indústria automobilística enfrenta a escassez de semicondutores , a Bosch apresentou estatísticas reveladoras sobre o estado do software automóvel. 

Em 2010, o veículo médio tinha 10 milhões de linhas de código. 
Hoje tem 100 milhões. 
Os carros automatizados de amanhã podem precisar de até 500 milhões. 

ROUPA

Os produtos de saúde digitais já eram uma categoria crescente na CES. 
A pandemia acelerou essa tendência. 

Os wearables premium e os dispositivos conectados estão a tornar-se monitores digitais de saúde. Entre muitos outros, a Fossil e Michael Kors revelaram novos modelos de smartwatch com monitores de frequência cardíaca. 
Lentes de contato eletrónicas, um monitor de pressão arterial conectado, um biossensor vestível, um detetor de glicose no sangue não invasivo e muito mais . 

  • Mudra Band usada no pulso deteta sinais neurais enviados ao cérebro para o dedo e mapeia-os em entradas de gestos para um Apple Watch.

As “máscaras inteligentes” também tiveram destaque, já que a empresa de jogos Razer revelou um protótipo de máscara N95 que filtra o ar, amplifica a voz do utilizador e ilumina o seu rosto quando está no escuro. 

AR / VR / XR 

Há quem diga que VR e AR não descolaram para o mercado de grande consumo, constatando que o hardware, não se vende à velocidade mínima e os dispositivos não entusiasmam os consumidores além de um nicho de mercado.

Há esperança, já que as vendas de hardware e acessórios VR / AR para consumidores cresceram 53% de março a novembro de 2020, em comparação com o mesmo período de 2019, de acordo com o Retail Tracking Service da NPD. 

A ênfase da CES 2021 está no hardware voltado para empresas. 
É aí que estão os clientes que pagam.

lenovo ThinkReality A3
  • A Lenovo anunciou o ThinkReality A3 , óculos inteligentes com resolução de 1080p e duas câmaras olho de peixe para rastreamento do ambiente. Com previsão de entrega em meados de 2021, o A3, pode ligar-se a um computador ou telefone.
  • A Vuzix mostrou os seus novos óculos microLED inteligentes .
  • O TCL apresentou os seus óculos com monitor integrado, dois visores OLED.
  • A Panasonic sugeriu algumas atualizações para os seus óculos VR super-elegantes e steampunk (ainda em protótipo). A Panasonic Automotive exibiu um display AR heads-up para veículos. 

LAR INTELIGENTE

No setor de casa inteligente, o CES Media Day foi dominado por soluções de segurança, assistentes inteligentes, purificadores de ar e banheiras inteligentes. Alguns dos destaques: 

Hex Home (da Origin Wireless AI): Este sistema baseado em ondas é uma das opções de segurança doméstica mais exclusivas. Monitora a casa usando ondas Wi-Fi – que se dobram e quebram conforme as pessoas se movem ao redor delas – e envia um alerta quando um movimento fora do comum é detetado. 

Flex IO (por Alarm.com): Este sistema de segurança pode operar em qualquer ambiente externo, sem eletricidade ou acesso wi-fi. O sistema alimentado por bateria usa ligação LTE para enviar alertas em tempo real para um smartphone e é projetado para uso em tudo, desde portões de quintais, galinheiros e estábulos. 

Wellness Toilet (por Toto): Um dos maiores fabricantes de encanamentos do mundo, examina o seu corpo para oferecer um status de bem-estar e recomendações para melhorias. Através da análise da fisiologia humana, particularmente dos dejetos, a app aparesenta informação (pense: adicionar mais salmão à sua dieta). Após cada pausa, o utilizador vê as recomendações de saúde no painel do app para smartphone. 

A Toto refere: “Há uma grande quantidade de dados de bem-estar que pode ser analisada a partir das fezes.” 

A empresa Lasso apresentou a primeiro aparelho doméstico de reciclagem. A máquina deteta plástico, vidro e metal, limpa a vapor, remove etiquetas para evitar contaminação, separa os materiais de forma inteligente e, em seguida, mói silenciosamente a sua reciclagem antes de depositá-la na caixa de armazenamento interna.
É realmente surpreendente, quer pelas funções, quer pelo preço inicial: $ 3 500!
Previsão: 2022, baixa o preço com a concorrência e tornar-se uma comodidade

SAÚDE DIGITAL

Biometria na biometria: HealthyU, é um dispositivo de monitorização remoto de saúde da HD Medical, anunciado como um monitor doméstico inteligente tudo-em-um. É o primeiro a ser capaz de analisar sete biométricos diferentes, nomeadamente sons cardíacos e pulmonares, saturação de oxigénio no sangue, temperatura e frequência respiratória. 

Sensores de pressão arterial: Imagine se o seu smartwatch pudesse informar a sua pressão arterial e também a sua frequência cardíaca. Esse tipo de tecnologia comeca a aparecer no mercado. A Valencell, um dos principais fabricantes de sensores de oxigénio e frequência cardíaca, está a expandir-se para a pressão arterial. A sua tecnologia é usada atualmente em vários wearables, incluindo nos auscultadores da Bose

cove Cove

Tecnologia de “cancelamento de stresse”: A Cove é outro wearable – uma espécie de faixa vibratória que visa dissipar o stresse ativando o sistema límbico do cérebro – por exemplo, a parte que regula a emoção, o stresse e a ansiedade. Feelmore Labs, a startup baseada no Brooklyn por trás do Cove, sugere usar 20 minutos por dia. 

  • Depois de usar o Cove por 30 dias, 90% dos participantes experimentaram 41% de redução do stresse e uma melhora de 50% na qualidade do sono, de acordo com os resultados do estudo clínico citados por Feelmore. 

Purificação portátil: O LUFT Duo – um purificador de ar molecular portátil da empresa de eletrónicos tailandesa LUFTQI – estreou na CES este ano após levantar mais de 20 vezes a sua meta de financiamento na Indiegogo
O produto é projetado para o uso pessoal em qualquer lugar, tanto em escritórios, restaurantes, carros e aviões, através de um único filtro lavável e reutilizável (Já está disponível para compra).

  • De acordo com LUFTQI, o purificador usa LED UVA e tecnologia fotocatalítica para “decompor poluentes muito pequenos para filtros HEPA” (como formaldeído, por exemplo), assim como fungos e patógenos alvo. 

À procura de riscos: Airthings, fabricante norueguês de monitores de qualidade do ar, anunciou uma nova maneira de as empresas ajudarem a impedir a disseminação do Covid-19. Com o Wave Plus, as empresas podem monitorar o “risco de vírus” usando fatores como taxa de ocupação, emissões de CO2, ou temperatura. A assinatura empresarial vem com um painel que mede a qualidade do ar em cada sala. 

Mais tecnologia de máscara: uma das estreias da LG CES neste ano é o PuriCare, um purificador de ar que se assemelha a uma máscara. Algumas das suas especificações: filtros HEPA descartáveis, sensor respiratório, ventiladores duplos de três velocidades e um protetor facial lavável. 

DRONES

airpeak sony

A Sony entrou oficialmente no negócio dos drones para consumidores com o Airpeak. A gigante da eletrônica com sede em Tóquio criou um quadricóptero. O Airpeak pode carregar uma câmara (como a série Sony Alpha). 

A empresa não revelou preços ou cronogramas de produção. Quando for lançado, a Airpeak parece destinada a competir por market share com a DJI, que detém o monopólio no mercado premium de fotografia aérea / produção de vídeo.  

+ drone autónomo da Skydio ganhou o prémio CES 2021 Best of Innovation.

COMPUTADORES E PROCESSADORES

Smartphones
Apesar da CES não ser propriamente conhecida como o grande evento de lançamento de smartphones, este ano a Samsung, por exemplo, lançou os novos modelos Galaxy S21 e S21 Plus.

A marca sul-coreana que domina as vendas de smartphones no mundo (e em Portugal) lançou os modelos mais cedo do que o habitual – costuma ser em fevereiro.

“As pessoas estão a preferir cada vez mais os modelos topo de gama e a preferir a última tecnologia e quisemos lançar o mais cedo possível até porque lançámos funcionalidades de vídeo úteis na vida remota.”

José Correia, diretor de Produto e de Marketing da área Mobile da Samsung Iberia
Fonte: Expresso 15 Janeiro, 2021


O responsável admite que o setor dos computadores disparou em vendas durante a pandemia, tal como o dos tablets – a Samsung cresceu 30% em vendas –, mas o dos smartphones caiu cerca de 10% em valor durante a pandemia em 2020.

A nova loja online da Samsung ajudou a compensar a falta do retalho nas lojas – “as vendas online chegaram a valer 35% e terminaram o ano a valer 16% – antes da pandemia era de 8%”.

🖊️ Smartphone LG rollable: A LG vai lançar um telefone dobrável, concorrente da linha dobrável Galaxy Z Fold da Samsung, especialmente o Galaxy Z Fold 2.

Televisores
As grandes estrelas da festa durante muitos anos. Neste 2021 o destaque são as TV’s 8K, da Samsung, LG e Panasonic. Há rumores que a LG deve apresentar também um aparelho até 40% de transparência.

Toda a linha de TVs da Samsung receberá grandes atualizações em 2021.
A tecnologia Mini LED intitulada “Neo QLED” traz dezenas de milhares de minúsculos LEDs para o sistema de retroiluminação nas TVs de última geração.

Portáteis – Notebooks
A indústria espera que surjam cada vez mais novidades no segmento de inteligência artificial como ajustar de forma autónoma a vida útil da bateria, a conectividade do notebook e a qualidade do áudio conforme o ambiente.

🖊️ A Intel lançou um processador de última geração: “Alder Lake”, é o novo chip mais poderoso e eficiente em termos de energia. O processador chega no segundo semestre de 2021. No evento virtual, a Intel também lançou os processadores móveis da série 11 da geração Core H.

🔸 A Asus anunciou dois novos portáteis da linha ZenBook Duo. O ZenBook Pro Duo OLED e o ZenBook Duo 14 com ecrãs de 15,6 polegadas e 14 polegadas, respetivamente.

🔸 A Dell também tem 2 novos laptops, o Alienware m15 e m17 com opções de CPU Core i7-10870H e Core i9-10980HK da 10ª Geração da Intel. As novas máquinas agora podem ser configuradas até 32 GB de memória de 2.933 MHz e até 4 TB de armazenamento PCIe.

🔸O CES 2021 viu a estreia de dezenas de monitores, incluindo o enorme Asus ROG Strix XG43UQ, que tem resolução de 4k. A Dell mostrou um monitor curvo de 40 polegadas com resolução de 5120 x 2160.
Para designers, existe o LG UltraFine OLED Pro 32EP950, que tem uma relação de contraste de 1.000.000: 1 e resolução de 4K.

VÁRIOS

Produtos que desafiam várias categorias e que chamaram a atenção: 

Chamberlain, uma empresa de portas de garagem, fez uma porta para cães ($ 3.000). É um dispositivo inteligente é totalmente automatizado e ligado à Internet. 

A Sono Motors, uma startup alemã, revelou o Sion, um carro movido a energia solar com um alcance de 255 quilómetros. Vem com uma estação de carregamento, mas os painéis solares devem fornecer autonomia diária extra para o veículo. A empresa planeia licenciar a sua tecnologia . 

O Asus ZenBeam Latte L1 é quase do tamanho de uma chávena de café, mas é um projetor portátil. 

AMD: Revelou os novos processadores móveis Ryzen série 5000, extremamente competitivos com a Intel e o novo M1 da Apple.

Best Buy: A CEO, Corie Barry, partilhou a forma como a empresa mudou durante a pandemia e os ajustes necessários para dar resposta ao volume das vendas online. 
Muito interessante a preocupação da marca em interpretar os dados relativamente às compras dos clientes, nomeadamente perceber se eram individuais ou a pensar no agregado familiar.

Mastercard e Acenture: Michael Miebach, CEO da Mastercard, e Julie Sweet, CEO da Accenture, previram as tendências tecnológicas para a próxima década. Resumo: Telemedicina > E-Commerce > Moedas Digitais.

Walmart: Numa das melhores palestras do evento, Doug McMillon, CEO do Walmart, discutiu formas como o 5G, a IA e a robótica vão mudar o negócio e como o Walmart se empenhou em manter os funcionários saudáveis e os clientes satisfeitos.
No entanto, o destaque vai para o compromisso da empresa nos temas da diversidade e da inclusão. Fiquei agradavelmente surpreso pelo CEO falar abertamente sobre o impacto da morte de George Flyod, e as alterações que a empresa procurou fazer, na área da inclusão, justiça criminal e educação. 

Atualmente, têm 352.000 trabalhadores negros – 21,5% de força de trabalho.
Através de uma pesquisa online posterior, a transparência pode inspirar outros empresários.


 Microsoft: Brad Smith, presidente da Microsoft, partilhou a sua visão sobre a dificuldade crescente em garantir a segurança no mundo online e a delicada proteção da privacidade dos clientes. A acrescentar, discutiu ainda a responsabilidade da indústria tecnológica em exercer a consciência das pessoas para os temas sociais.

Neste sentido, recomendo o livro do Brad Smith, “Tools and Weapons”, para quem pretenda perceber os avanços tecnológicos e o impacto bem como os desafios que o crescimento de uma empresa, que pretende ser global, enfrenta.

A CES 2022 volta a Las Vegas em formato presencial, entre os dias 5 a 8 de janeiro de 2022.