As ferramentas de software não são pessoas. 

Ferramentas, como Ahrefs, SEMrush, Conductor, Clarity, e Searchmetrics, são todas ótimas para ver o progresso, mas não têm o intelecto humano necessário para esclarecer o porquê, para interpretar a informação e alinhar com os objetivos de negócio.

Um software que faça o rastreio de métricas, tal como as ferramentas acima referidas, informa bem sobre as métricas de atividade, mas não apanhará um «ataque cardíaco» SEO iminente em todo o site

Quando um website está a passar por um problema orgânico, deve ter um profissional experiente para o analisar e realizar uma auditoria para descobrir eventuais problemas.

auditoria marketing digital


Auditoria ao Site

Existem modelos básicos para uma auditoria de marketing digital com foco no website que qualquer profissional experiente utilizará para efetuar o diagnóstico.

Quando se visita um médico, deseja-se alguém com muita experiência e uma inteligência emocional elevada para fazer as melhores perguntas.
Com auditorias digitais, a especialização é fundamental.

Uma auditoria não foi concebida para ser apenas uma lista de verificação para colocar num poster de parede. Uma auditoria deve ser um olhar atento a todo o seu esforço de marca online.

Quanto mais experiente for a pessoa ou equipa que realiza a auditoria, mais será capaz de se inteirar do que está errado e compreender como (e onde) olhar mais a fundo. 

Uma pessoa ou equipa experiente saberá também qual a auditoria a prosseguir. Uma auditoria geral de SEO analisará muitas áreas diferentes, enquanto uma auditoria competitiva examinará as estratégias de SEO dos concorrentes. 

Uma auditoria técnica investiga a arquitetura técnica, enquanto uma auditoria de «backlinks» apenas examina a carteira de «backlinks» de um website.

Uma auditoria é uma oportunidade de investigar os fatores que impulsionam as mudanças. Pode ser conduzida por qualquer pessoa com experiência suficiente para saber o que procura.


Auditoria marketing digital – foco no conteúdo

Ao empreender qualquer programa de conteúdo, é importante que trabalhe com a equipa da marca ou cliente para realizar uma auditoria de conteúdo. 

A auditoria de conteúdo lista, essencialmente, todos os ativos de conteúdo disponíveis no website e no exterior da Web

Pode ser tão simples como uma folha excel que lista:

  • Título do artigo no blogue;
  • Descrição SEO do artigo no blogue;
  • Tags do artigo;
  • Categoria do artigo;
  • Imagem associada ao artigo;
  • URL do conteúdo;
  • Tipo de Ativo: (página web, artigo, infográfico, árvore de decisão, etc.).

Estas são as etapas mais comuns no processo de auditoria de conteúdo:

Etapa 1: compilar a informação num documento (excel, doc ou ppt).

Registar todas as páginas que conseguir encontrar e os seus detalhes.

Etapa 2: Analisar o conteúdo.

Analisar os dados para compreender em que posição do ranking da Google determinado conteúdo está classificado, relativamente a termos de pesquisa.
O site teletrabalhoweb.com quererá ter um bom posicionamento por «teletrabalho».
Avaliar se tem links externos que fazem referência ao seu artigo e se tem acesso a análises do site para dados mais fidedignos. Rever também o tráfego, engagement e métricas associadas à conversão.

No documento em excel, marque ou pontue o conteúdo e anote se gostaria de o manter ou se será necessário aprimorar, com dados mais atuais, um vídeo ou áudio para complementar a informação presente.

Etapa 3: Edite o conteúdo, de acordo com os seus objetivos ou para satisfazer quaisquer necessidades das perguntas frequentes dos seus clientes, bem como otimizações de conteúdo.

Etapa 4: Atualize o seu documento excel com a auditoria de conteúdo.

Realize este processo de 3 em 3 meses, para assegurar que o conteúdo da sua marca tem um bom desempenho e está em conformidade com as diretrizes da marca.


Estratégia de conteúdo numa auditoria digital

As estratégias de conteúdo podem variar em termos de complexidade, mas, no geral, o objetivo é fornecer uma visão complexa sobre quais os tipos e tópicos de conteúdo orgânico que devem ser criados ou escritos. 

A estratégia de conteúdo pode variar, dependendo da sua função ou a quem pretende delegar. 

A estratégia de conteúdo pretende:

  • Avaliar as necessidades de criação de conteúdo (O quê? Quem? Quando? Onde? Porquê? Como?);
  • Identificar as necessidades do público;
  • Solucioná-las fornecendo conteúdo relevante para resolver essas necessidades.


Considerações a ter em conta:

  • Que termos de pesquisa são populares na categoria?
  • Quais os termos de pesquisa mais populares que envolvem a marca?
  • O quão competitivos são esses termos de pesquisa?
  • Quais os locais de conteúdo que os utilizadores consumem para estar informados na sua jornada de cliente?
  • Existe alguma diferença entre o conteúdo publicado e aquele que os utilizadores estão a pedir?
  • O nosso conteúdo atual responde adequadamente às necessidades dos utilizadores e à concorrência/demanda que lhes é feita?
  • Que tipo de respostas e bens de conteúdo devemos fornecer?
  • Qual é o calendário e a cadência da publicação de conteúdos?
  • Qual é a estratégia de promoção do conteúdo?
  • Quais são os fatores de sucesso do conteúdo (por exemplo, envolvimento, tráfego, vendas)?


Orientações na redação de conteúdo e da marca:

  • Em que pessoa (primeira, terceira) deve estar escrito o conteúdo?
  • Qual é a voz/tom da marca?
  • Qual é o apelo à ação?
  • Quem é o nosso público e quais são as suas personalidades?
  • Qual é a jornada do público-alvo?
  • O que dizem as pessoas sobre a nossa marca (comentários positivos, queixas, necessidades)?
  • O que estão as pessoas a dizer sobre a categoria?
  • Que mensagens o nosso público-alvo procura?
  • Há desconexões com o nosso público-alvo e a nossa marca? Em caso afirmativo, como é que o conteúdo pode ser corrigido?
  • Quais são os pontos de dados incluídos para apoiar as respostas a estas perguntas?


No plano tático, o copywriting é uma parte crítica de SEO. 

  • Escrever conteúdo para humanos, não para robots dos motores de pesquisa;
  • Utilizar dois a três termos de pesquisa (palavras-chave) por página;
  • Utilizar pelo menos 700 palavras em cada pedaço de conteúdo;
  • Idealmente a página ou artigo devem começar com uma frase-chave, que contenha uma palavra-chave central ao tema do artigo;
  • Incluir termos direcionados em todas as etiquetas de HTML, cabeçalhos (H1>H2) e palavras-chave;
  • Tornar o conteúdo facilmente partilhável;
  • Incluir uma chamada à ação;
  • Idealmente incluir um vídeo YouTube;
  • Incluir palavras-chave específicas no título do vídeo, descrição, etiquetas e nome do ficheiro;
  • Imagem com alt-tag (legenda) com a palavra-chave principal alinhada com o conteúdo da página ou artigo.


Empresas de auditoria: áreas de pesquisa

Cada auditoria acabará por divergir na forma, à medida que o auditor compreende as prioridades do cliente e articula o levantamento de necessidades com a sua experiência.

A Auditoria Digital pode ter foco na arquitetura do site

Cada auditoria incluirá pelo menos um olhar sobre estas áreas de alto nível:

Análise de penalidades – Há alguma queda inexplicável de métricas que se alinhe com as ações manuais do Google ou com as atualizações do algoritmo que sejam conhecidas?

Indexação – O site está devidamente indexado na pesquisa? O que o está a atrasar? Na minha opinião, esta é a parte mais importante qualquer auditoria.

Estrutura de URLs – Os URLs têm uma estrutura agradável e limpa para tornar claro, tanto para os utilizadores como para os motores de pesquisa, o que está contido em cada página? 

Conteúdo duplicado e questões de utilização canónica – Questões de conteúdo duplicado causam à Google a necessidade de tomar uma decisão sobre qual o URL a indexar. Este pode não ser o URL desejado, pelo que os canónicos podem ajudar a declarar o URL preferido. O uso indevido de canónicos pode ser muito prejudicial para o site. Há quem chame a isto uma penalização por conteúdo duplicado, mas na realidade não é de todo uma penalização, pois é assim que a indexação da pesquisa é concebida para funcionar.

Ligações internas – Será que as ligações internas estão em bom estado de funcionamento para um rastreio e indexação? (Em muitos aspetos, as ligações internas podem ser mais importantes do que as externas, pelo que este passo é crítico).

Backlinks – Quais os sites que ligam ao nosso site? Estão a ajudar-nos ou a prejudicar-nos? Para um site grande, compreender a mistura de backlinks pode ser uma auditoria extensa, só por si.

Utilização de scripts – Que scripts estão a ser utilizados e quais são as implicações? Apesar das proclamações em contrário do Google, a utilização de JavaScript não é tão eficaz para SEO como o HTML. Descobrir o JavaScript que conduz a partes importantes do site pode levar a novas oportunidades de crescimento se for recodificado de uma forma mais amigável para os bots dos motores de pesquisa.

Utilização de palavra-chave – Que palavras-chave são utilizadas e que lacunas existem? As palavras-chave são o baluarte de qualquer campanha de SEO e o seu mapeamento pode, muitas vezes, conduzir a novas a oportunidades.

On-Page SEO – Que etiquetas de título (títulos, descrições, H1, H2, etc.) estão a ser usadas? Boas etiquetas de título são a base de qualquer esforço, e é sempre surpreendente as oportunidades podem ser criadas quando se investe tempo na sua utilização.

Qualidade do conteúdo – Que conteúdo está publicado e se tem qualidade? A área de SEO é impulsionada pelo conteúdo, mas um conteúdo deficiente pode, na realidade, ser prejudicial.

Robots.txt – Existem direções para os motores de pesquisa das páginas do site que podem ser rastreadas? Há muitos sites que nem o robot.txt têm configurado.

Quer decida contratar um perito ou realizar a sua própria auditoria, certifique-se sempre de identificar as questões que têm impacto na visibilidade. 

Não confie apenas no rápido controlo de saúde de uma ferramenta.

Ao decidir o que deve ser corrigido, estabeleça prioridades com base no impacto. 

Uma auditoria digital é um exame de saúde para gerar uma base de referência de como um site, o seu conteúdo ou uma área específica da sua marca, se compara às melhores práticas.

No entanto, ter um site com uma pontuação de SEO perfeita não significa que este esteja preparado para desencadear torrentes de tráfego. 

Há muitos sites que têm nota positiva em todas as caixas de SEO, mas dificilmente geram qualquer tráfego.

A razão?

É preciso intelecto humano para interpretar dados, agrupar informação mais relevante e alinhá-la com os objetivos de negócio.

Quer aprender mais comigo?

Outras referências: empresa de consultoria > consultoria empresarial >